AMOR E RECIPROCIDADE

Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Esse é o primeiro mandamento. O segundo, semelhante a esse é: amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22.37 à 39

Todas as multifaces do amor são excelentes e são a marca das pessoas de bem. É a marca dos seguidores de Jesus, que nasceram de novo e que estão dedicando esforço no processo de construção da imagem de Cristo em si mesmos.

Porém, Jesus no texto de Mateus nos ensina uma verdade sutil e que por vezes é incompreendida. Pensamos que amar o próximo como a nós mesmos é apenas uma questão de medida. Querer para o outro o bem que eu quero para mim.

Mais que uma medida justa, o texto fala sobre RECIPROCIDADE. O Senhor ensina a reciprocidade em todas as áreas da vida. A Lei de Moisés era fundamentada na reciprocidade.

Casamento é para ser construído em reciprocidade: No processo de seleção de uma pessoa para construção da conjugalidade, o texto de Gênesis 2.18 recomenda que seja …uma companheira que lhe corresponda. Não apenas que seja compatível em termos de afinidades e propósitos de vida, mas que contribua de forma igualitária para manutenção da relação.

II Corintios 6.14 ensina que jugo desigual não significa simplesmente se casar com uma pessoa descrente. Significa prioritariamente não construir uma aliança com uma pessoa que não vai ter os mesmos princípios morais que nós temos para tomada de decisões. Aplicamos este texto somente ao casamento, mas é para todos relacionamentos humanos.

Reciprocidade é uma questão de empatia (saber nos colocar no lugar do próximo) e, aplicar o amor bíblico em um relacionamento onde não há reciprocidade pode ser perigoso.

POR EXEMPLO:

Manter um relacionamento com uma pessoa violenta porque a Bíblia diz que precisamos suportar todas as coisas, pode nos expor ao perigo.

Manter um relacionamento profissional com uma pessoa que não tem a honestidade como principio de ação porque a Bíblia diz que não devemos buscar os próprios interesses, que temos que ter paciência e que temos que sofrer o dano; isso pode nos levar a falência econômica.

Manter um relacionamento afetivo com uma pessoa que maltrata (física ou emocionalmente), que rebaixa sua autoestima, que ofende, que oferece um amor intermitente (as vezes te trata bem, de repente de trata mal), que trai a sua confiança, porque a Bíblia diz que devemos perdoar 70 vezes 7, porque o amor perdoa todas as coisas, porque o amor espera pacientemente o outro mudar; isso pode destruir nossa saúde física, mental, nossa autoestima, nossa vida profissional, etc.

Manter uma amizade com uma pessoa que nos quer por perto para nos explorar, para extrair tudo o que podemos dar (tempo, recursos, habilidades, influência, etc) sem nos oferecer uma reciprocidade somente porque a Bíblia diz que temos que amar até os inimigos, dar a quem nos pede e deixarmos levar até a nossa capa; isso pode nos desgastar ao ponto de prejudicar nossa saúde e finanças.

QUAL É A SOLUÇÃO PARA ISSO ENTÃO?

Compreender que os princípios bíblicos de amor existem para serem aplicados em relacionamentos normais, onde há reciprocidade.

Aplicar o amor bíblico em relacionamentos anormais, disfuncionais, tóxicos, trazem muito dano, e este não é o propósito de Deus para nós. O Senhor também oferece modelos de tratamento diferenciados a depender do tipo de pessoa com quem Ele está tratando e nos orienta a utilizar o mesmo critério.

Com o puro te mostras puro; com o perverso te mostras indomável. Salmo 18.26

Não responda ao insensato com igual insensatez, do contrário você se igualará a ele. Responda ao insensato como a sua insensatez merece, do contrário ele pensará que é mesmo um sábio. Provérbios 26.4 e 5

Não adianta tentarmos modificar as pessoas para que elas se enquadrem no perfil de um relacionamento funcional e saudável. Tentar mudar as pessoas sem elas desejarem mudanças, nos trará muita frustração pois, por via de regra, nem Deus muda quem não deseja mudar. A Bíblia chama isso de obstinação ou dureza de coração.

Povo rebelde e obstinado de coração e de ouvidos! Vocês são iguais aos seus antepassados: sempre resistem ao Espírito Santo. Atos 7.51

Mas o meu povo não quis me ouvir, Israel não quis me obedecer. Por isso os entreguei ao seu coração obstinado, para seguirem os seus próprios planos. Salmo 81.11 e 12

Por vezes ainda, existem aqueles que não mudam não apenas por uma obstinação consciente e deliberada, mas sim porque não vêem os próprios erros e não enxergam uma necessidade de mudança.

Quem pode perceber os próprios erros? Purifica me dos que ainda me são claros para mim. Salmo 19.12

Como lidar então com relacionamentos que carecem de reciprocidade?

Primeira ação: cuidando de nós mesmos (amar o próximo como a si / a base é o amor a si mesmo). A característica principal do adulto é o desenvolvimento (des / envolver / sair dos braços dos cuidadores e cuidar sozinho de si mesmo).

Cuidarmos da nossa saúde física, da nossa higiene, do nosso trabalho, das nossas contas, das nossas responsabilidades familiares e sociais.

Se não cuidarmos da nossa saúde mental, ninguém cuidará para nós. Se nós não estabelecermos limites para não sermos prejudicados, ninguém fará isso por nós. Se nós não cuidarmos da nossa autoestima ninguém nos dará valor. Cuide de você!

Segunda ação: deixe as pessoas cuidarem delas mesmas. Nosso propósito de vida não é fazer as pessoas felizes, mas apenas agregar felicidade à felicidade que elas já construíram.

Cada um é responsável pelo o que semeia. Aqueles que semeiam a bondade, a fé, a esperança e o amor certamente, em algum momento, colherão paz e felicidade interior (além do entendimento).

Não se deixem enganar, de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear isso também colherá. Gálatas 6.7

Nosso propósito de vida não é decidir para as pessoas o caminho que elas devem seguir. Todos precisam experimentar o resultado prático do direito de escolha. Primeiramente a perda: porque toda escolha envolve um ganho e uma perda. Segundo as alegrias e tristezas: porque nem sempre seremos 100 por cento exitosos. Podemos sim ajuda-las com oração e avaliações cuidadosas para auxiliar no êxito das decisões, mas não podemos assumir as responsabilidades que lhes compete.

Segue os caminhos que o teu coração indicar e todos os desejos dos teus olhos. Saibas contudo que tudo o quanto fizeres passará pelo julgamento de Deus. Eclesiastes 11.9

Sem direção a nação cai, mas na multidão dos conselhos há sabedoria. Provérbios 11.14

Nosso propósito de vida não é mudar as pessoas. Ninguém muda ninguém e passar-se-ão os anos e provavelmente não veremos nenhum progresso nos outros. Pelo contrário: nos encontraremos desgastados.

Nosso propósito de vida não é continuar a proteger as pessoas adultas como se elas fossem eternas crianças, incapazes de lidar com suas próprias responsabilidades. Não podemos fazer o trabalho de Deus. Melhor: não vamos inventar de fazer o que nem Deus faz pelas pessoas. Cada um precisa invocar o Senhor individualmente para ser salvo.

Você mulher, como sabe se salvará o teu marido? Ou você, marido, como sabe se salvará a tua mulher? I Coríntios 7.16

…todo aquele que confessar o nome do Senhor será salvo. Atos 2.21

Terceira ação: mantenha um perímetro de segurança. A Bíblia diz que o pecado não pode se aproximar de Deus. Se Deus que é Deus tem limites claros e existem coisas que Ele não tolera, porque nós queremos ser melhores que Deus e tentar tolerar de tudo?

Pois todos pecaram e estão destituídos da Glória de Deus. Romanos 3.23

Os vossos pecados fazem separação entre vós e o vosso Deus. Isaías 59.2

A Bíblia diz: que seu sim seja sim e que seu não seja não. O que significa? Apenas o falar a verdade? NÃO! Significa também que haverá momentos que poderemos dizer sim e outros que poderemos dizer não. Isto é; por um perímetro de segurança.

Estabelecer um perímetro de segurança é dizer claramente o que toleramos e o que não vamos tolerar, sem medo. Deixar claro até onde as pessoas podem ir em suas ações para conosco.

Existem aquelas que podem estar mais próximas de nós porque confiamos que não irão intoxicar a nossa vida (apesar de não serem perfeitas).

No espectro dos relacionamentos existe uma gradação: os íntimos, os próximos, os colegas, os conhecidos, colegas de profissão. Porém, para estar emocionalmente próximo de nós as pessoas não podem ser danosas para a nossa qualidade de vida.

Não precisamos cortar relações, como fazem as crianças. Precisamos apenas alocá-las, educadamente, em um ponto de segurança no circulo dos nossos relacionamentos. Compete a nós decidirmos e colocarmos as mesmas na distancia que podem e precisam estar de nós.

Feliz é aquele que não segue o conselho dos ímpios, que não imita a conduta dos pecadores e não se assenta na roda dos escarnecedores. Salmo 1.1

Quarta ação: se houver oportunidade ou desejo de tentar negociar, tratar especificamente sobre os comportamentos disfuncionais que ferem e prejudicam, com diálogo claro e sincero, mas sem rótulos e criticas.

Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com espírito de mansidão. Cuide-se porém, cada um para que também não seja tentado.Gálatas 6.1

É muito difícil haver mudanças no jeito de ser de cada pessoa, incluindo hábitos que são prejudiciais ao próximo. Porém, como servos de Deus também cremos que nada é impossível para Deus.

Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis. Mateus 19.26

Contudo, se mesmo após negociações e promessas de mudanças o comportamento disfuncional não se alterar, se os nossos limites continuarem sendo ultrapassados e ainda sofrermos danos, o passo mais lógico e até mesmo biblicamente aprovado, é a auto preservação. Há um limite para a falta de arrependimento.

Se teu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele e mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir , você ganhou o seu irmão. Mas, se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e, se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano. Mateus 18.15 à 17

Não significa que esta pessoa não será mais salva. Enquanto há vida, há oportunidade de acesso à Graça salvadora. Nós não sabemos quem é joio ou trigo e não temos a capacidade de identificar precisamente quem será salvo ou condenado.

Significa apenas que os limites no contexto do relacionamento conosco foram ultrapassados, que a oportunidade se passou, e o relacionamento não voltará a ser mais o mesmo. Pode (e deve) haver perdão e superação, mas na maioria dos casos não há mais recuperação da oportunidade perdida.

Esforcem-se para viver em paz para com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá ao Senhor. Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos; que não haja nenhum imoral ou profano como Esaú, que por uma única refeição vendeu os direitos de herança como filho mais velho. Como vocês sabem, posteriormente, quando quis herdar a benção, foi rejeitado; e não teve como alterar a decisão, embora buscasse a benção com lágrimas. Hebreus 12.14 à 17

Quinta ação: apresentando a causa diante de Deus. Mais que um problema relacional, é um problema espiritual.

…porque a nossa luta não é contra carne ou sangue, mas sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Efésios 6.12

Repito: se Deus quiser Ele pode mudar qualquer pessoa que desejar mudanças. Nossa oração pode beneficiar o nosso próximo. Contudo, seja qual for o destino do próximo, precisamos orar para o Senhor mudar em nós o que Ele deseja, mas também para nos proteger de todo assédio psicológico ou físico e prejuízos advindos da ação demoníaca.

Alguém poderia perguntar: Pastor, agir assim não é antibíblico?Não é antibíblico, é uma quebra de paradigma! É comum nos expormos sem necessidade ao dano e a violação da nossa integridade por achar que esta é a vontade de Deus.

Nós como IGREJA precisamos melhorar no que cerne a proteção das pessoas que sofrem maus tratos em nome de um amor que não é bíblico e de longe não é da vontade de Deus.

Até Jesus foi seletivo. Da multidão escolheu 12. Dos 12 foi próximo de 3. Dos 3 havia um que era muito amado, ao ponto de Jesus pedir para ele cuidar da sua mãe terrena. Ele não saiu divulgando o nome das pessoas que ocupavam as mais altas posições em sua escala de afeto e confiança. Ele apenas agia em silêncio.

De igual modo não precisamos divulgar nossas avaliações, mas somos autores da nossa história, tendo o direito e a responsabilidade de construir relacionamentos significativos e sadios no amor de Deus!

ORAÇÃO

Pai, ensina-nos a amar pela perspectiva bíblica, mas dá-nos sabedoria para não aplicar o amor bíblico em situações que possam nos causar dano.

Revela para nós a Sua verdadeira vontade e não nos deixe ser presos por pensamentos que parecem ser bíblicos, mas que na verdade não são.

Guarda-nos da violação da nossa integridade, do nosso bem estar e dos nossos direitos em nome de uma submissão que não bíblica.

Ajuda-nos a construir relacionamentos significativos e sadios fundamentados no Teu amor, para Glória do Teu Nome!

Em nome de Jesus!

Pr.Kendji Yasumura

3 respostas para “AMOR E RECIPROCIDADE”

  1. O pior erro que já cometi em um relacionamento foi tentar de maneira fracassada, claro, mudar uma pessoa… modelar ela ao me querer, tamanha dedicação resultou em grandes frustrações, e um desgaste emocional sem precedentes.
    Nessa luta desenfreada esqueci de olhar para mim mesma, um poço de defeitos, preconceitos e egoísmo. Hoje eu compreendo que toda essa dedicação em mudar alguém deveria ser direcionada a minha pessoa.
    Mas hoje o Senhor mudou minha maneira de pensar, estou nesse processo, pela graça e misericórdia de Deus estou avançando, mesmo com todos as sequelas do passado, creio que em Nome de Jesus e pela ação do Espírito Santo em minha vida, alcançarei o propósito de Deus.

Deixe uma resposta para Ana Paula Hartelt Nishino Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s