Sete Igrejas do Apocalipse

Mensagem do Domingo da Igreja Perseguida (DIP)

Sunday of the Persecuted Church Message

Vista panorâmica de Esmirna (atual Izmir), terceira maior cidade da Turquia

CARTA A IGREJA DE ESMIRNA

LETTER TO CHURCH IN SMYRNA

Mensagem em Vídeo na WebTV / Link

Fotos do Culto no Facebook

Introdução

Se Jesus voltasse hoje, haveria algo que poderia nos impedir de herdar a salvação? Como devemos compreender o estar preparado?

As sete igrejas em Apocalipse falam da plenitude da Igreja em todos os lugares e em todas as épocas. O que Jesus aprova, desaprova e o desafio de mudanças enquanto há tempo.

Este entendimento lança luz sobre o modo como vivenciamos a fé em Jesus, e o estilo de vida que Ele espera de nós como indivíduos, como comunidade local e como o Seu Corpo.

Quanto ao objetivo, encontramos três aplicações para estas cartas.

  • Para as igrejas que existiram na Ásia Menor, nas quais imperavam as condições descritas, historicamente orientadas para as coisas que são (1.19), conforme o ponto de vista do autor sagrado;
  • Visão profética quanto a sete estágios da história da Igreja desde a primeira vinda de Jesus até o seu retorno conforme segue:
  • Éfeso (Século I); a igreja apostólica.
  • Esmirna (Século II e III); a igreja perseguida.
  • Pérgamo (312 a 500 d.C.); a igreja sob o favor imperial
  • Tiatira (Século V a XVI); a Igreja na idade das trevas.
  • Sardes (Séculos XVI a XVIII); a igreja da Reforma e da Renascença.
  • Filadélfia (Século XIX e meados do Século XX); a igreja das missões modernas.
  • Laodicéia; a igreja dos tempos do fim, até o retorno de Cristo
  • Representação das condições morais que caracterizam a igreja em qualquer de suas épocas e comunidades locais, desligadas do aspecto temporal. São instruções tanto para indivíduos como para a coletividade.

Elucidação

Já estudamos sobre a Igreja de Éfeso e de Filadélfia. Hoje falaremos sobre a Igreja de Esmirna. Historicamente, a Igreja de Esmirna sofreu forte perseguição. Como estágio profético da História da Igreja, seus dez dias de martírio estão relacionados aos dez anos da perseguição mais intensa já sofrida em toda história do cristianismo. Como palavra profética, que transcende o aspecto temporal, está relacionada a perseguição que os cristãos sofrem em todos os tempos por amor ao nome de Jesus.

Mesquita em Izmir e localização das Sete Igrejas da Ásia

Proposição

Por meio da Igreja de Esmirna podemos ver o sofrimento da

Igreja Perseguida dos nossos dias

Vejamos nesta mensagem os aspectos da perseguição aos cristãos

Tópicos

A)-Perseguição político-social (pobres, mas ricos / vs.9)

O texto diz que eles eram pobres. O que ocasionou esta dificuldade? Provavelmente era uma igreja composta de pessoas desprivilegiadas, mas outros fatores até hoje contribuem para o empobrecimento dos cristãos sob regimes opressores.

  • Perda dos direitos trabalhistas;
  • Perda dos direitos políticos;
  • Perda do acesso a educação e saúde;
  • Desclassificação social (classe alta, média, baixa, mas índio é índio);
  • Sentenciados criminosos (sem direito de julgamento);
  • São pobres diante dos padrões humanos, mas ricos diante de Deus. Serão mortos, mas reviverão, não sofrerão de modo algum o dano da segunda morte (já foram julgados justos diante de Deus).

B)-Discriminação (perseguidos pelos judeus / vs.9)

  • Discriminação que sofriam na perseguição
  • Raça ariana / tese da raça superior, darwinismo social.
  • Segregação racial / Discriminação de estrangeiros.
  • Ocasiona a dominação econômica (povo subjugado).
  • Discriminação econômica (pobres, ignorantes, sujos, doentes)
  • Os judeus consideravam que estes não eram o povo escolhido por Deus.
  • Contudo, Jesus se identifica pessoalmente com seus irmãos que sofrem a discriminação (fruto de perseguição ou não), e que são fracos diante dos homens (Mt 25.41-45).
  • Aqueles que sofrem perseguição por causa do nome de Jesus já possuem o Reino dos céus (Mt 5.10).
  • Aqueles que nesta terra, não são julgados justamente, serão satisfeitos por Deus (Mt 5.6).

C)-Batalha Espiritual (o diabo vos lançará na prisão / vs.10)

  • Nossa luta não é contra carne ou sangue. O próprio adversário é que se levanta contra a Igreja para persegui-la.
  • Ele está por trás de todos os governos opressores (vs.10 / poder de sentenciar como criminosos).Ele é quem trás tribulação ao povo de Deus.
  • Ele produz a perseguição religiosa (sinagoga de Satanás)
  • Ele produz perseguição político-social (lança na prisão).
  • Aqueles que são perseguidos já estão justificados. Aqueles que agem em conformidade com os desígnios do diabo estão sob condenação.

D)-O Caráter da Perseguição (postos a prova / vs.10)

  • Os sofrimentos foram uma provação sob a permissão de Deus. Nada foge ao controle do Senhor. Ele não apenas sabe o que vai acontecer; a verdade é que não cai nenhum fio da nossa cabeça que não seja por permissão de Deus.
  • Ele mesmo fortalece aqueles que sofrem perseguição para que tenham condições de suportar (quando sou fraco ai então sou forte / II Co 12.10)
  • Paulo sofreu todos estes tipos de perseguição, mas declarou que nada poderia separá-lo do amor de Deus em Cristo Jesus.
  • Por contraste, observamos o quanto a fé de muitos cristãos tem se enfraquecido. Por coisas pequenas se desviam do caminho da salvação e deixam o Senhor.
  • A perseguição é repugnante, conseqüência do pecado, não é desejável a ninguém, mas quando o Senhor permite tal provação, Ele fortalece e espera que seus filhos sejam fieis até o fim.
  • O prêmio é a coroa da vida e um grande galardão nos céus (Mt 5.12). Muitos herdarão a vida eterna, mas estes terão um grande galardão.

Conclusão

  • A perseguição religiosa sempre existiu e sempre vai existir. O diabo persegue aqueles que ensinam a verdade. Os filhos de Deus são perseguidos, mas não perseguem a ninguém. Os filhos das trevas perseguem e (na maioria dos casos) não são perseguidos.
  • (II Co 8.13-15). A nossa abundância presente deve ser para suprir a falta de outros e vice-versa, para todos tenhamos igualdade.
  • A distância geográfica não justifica a indiferença.
  • A liberdade religiosa que usufruímos deve ser para trabalhar em prol de nossos irmãos que são perseguidos (oração, contribuição).
  • Historicamente a Igreja de Esmirna já não mais existe. Como estágio profético da História da Igreja, este tempo de perseguição generalizada passou (mas pode voltar). Contudo ainda há uma grande parte de nossos irmãos que sofrem por amor de Jesus. Eles precisam da nossa intercessão e contribuição.
  • Estes campos precisam de missionários para cuidar dos rebanhos e de agências missionárias que os sustente nas suas necessidades.
  • Os governos opressores precisam parar a perseguição, as igrejas precisam sobreviver e crescer, o adversário precisa perder as forças!
  • E se nós mesmos viéssemos a sofrer tal perseguição? Nossas famílias, filhos? Já nos colocamos no lugar destes?
  • Estaríamos determinados a confessar o nome de Jesus até o fim também? Ou apenas o início das dores (ou nossos problemas comuns) seria suficiente para apagar a chama da fé?
  • Nossos irmãos precisam da ação da Igreja e dos milagres de Deus! A Igreja precisa orar para ajuda mútua e para não cair em tentação!

Link do DIP (Missão Portas Abertas)

Site da Missão Portas Abertas Brasil

Anúncios

Sobre renewedpresbyterian

renewed presbyterian church of japan in anjo city aichi province
Esse post foi publicado em Events, Mensagens, Missions, Studies. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s